quinta-feira, 18 de novembro de 2010

EXERCÍCIO:eu me lembro de ter tido sorte...







sai da cooperifa e fui pro jú. era o ultimo dia da fafá lá. cara querida que nos serve com cervejas e simpatias. tinha eu uma lata de spray na bolsa e, duas e pouca, fiz um desenho para ela no espaço onde era um itaú. bebemos, cantamos, dançamos e outras 'cositas más'. cinco horas. vamu embora?
eu e mais duas pessoas (pediram anonimato) entramos na belina véia. sentido são luis. na joão dia, o giroflex ilumina o carro. paramos para o enquadro.
"vocês tão vindo lá daquela festa no borba gato?"
"sim senhor, senhor soldado."
"tem arma ou droga em cima?"
"não senhor, senhor soldado."
"todo mundo de rg na mão e bolsa aberta no chão. lá é o que? um bar?"
"não, senhor soldado. é casa de um amigo."
"se eu quiser entrar lá de boa eu entro?"
"depende. se o senhor for meu amigo..."
"documento do carro."
claro. licenciamento atrasado. o que esperar de uma belina véia com bagageiro e tudo?
"e esse spray aki é o que? é você que anda pixando por ai 'vote nulo'?"
"não, senhor soldado. é que eu faço uma atividade com as crianças numa ong da periferia e esse é meu material de trabalho."
"quem é que toca violão de vocês três?"
madureira (kkkkkkkkkk) se apresenta. forrozeiro vagabundo.
"se você tocar uma do roberto a gente deixa vocês irem de boa. se não vamos ver essa lance do licenciamento ai..."
silêncio. madureira começa um: " lá. lá lá lá lá lá lá lá lá lá lá lá lá...."
os policiais impacientes: "e a letra, porra? canta essa merda ai!"
e eu, com a voz embargadamente etílica, emendo: "tanta gente se esqueceu. que a verdade tá pra vir..."
todos racharam o bico. rolou até um improviso.
"pode ir senhores. cuidado nos faróis. e você moça? não tem receio de andar com esses malucos a essa hora da madrugada?"
"eu sou a namorada do augusto. vamos juntos pra casa."
'tô sabendo... vão com cuidado."
peguei minha bolsa no chão e disparei: "senhor soldado; o senhor se importa de eu perguntar em quem o senhor vai votar nesse domingo?'
"eu? eu voto nulo!" mais risadas.
no carro, madureira confessa: "porra! se não fosse chico science..."

Um comentário:

  1. não sei se é verdade, mas que é engraçado, é! rsrs

    ResponderExcluir

muito obrigado por comentar neste blog. só não esqueça que a trema caiu e que berinjela é com J! não leve a mal. estou avisando para que você não passe vergonha na frente dos outros comentaristas.